41ª Notícias APRe!

1
Car@s Associad@s
Depois desta interrupção para férias, agora que a maior parte já está de regresso, venho de novo ao contacto convosco para dar Notícias da APRe!
Vamos entrar num mês de Setembro muito quente em que os incendiários não são só os que pegam fogo às nossas matas e florestas mas todos aqueles que nos estão a “usar” através das alterações que pretendem fazer nas nossas vidas ao prepararem mais cortes nas pensões. Neste momento, ainda não está fora de questão a TSU dos reformados e está em “negociação” o corte de 10% nas pensões da CGA.
É hora de nos unirmos todos neste duro e desigual combate. Temos na APRe! 52% de Associados da CGA e 48% da Segurança Social: precisamos de enfrentar todos juntos este ataque feroz que o governo se prepara para fazer.
Como devem ter ouvido na comunicação social, o Secretário Geral da FESAP, à saída de uma reunião com o Secretário da Administração Pública (Hélder Rosalino) fez declarações desastrosas propondo que os cortes fossem feitos nas pensões mais elevadas. Só o facto de aceitar negociar cortes é uma posição que nós não aceitamos e contra a qual reagimos na televisão (RTP e SIC), com uma nota à Imprensa que vos envio, em anexo e com uma carta dirigida à FESAP e ao Secretário Geral da UGT.
Enviámos também um pedido de audiência ao Secretário de Estado mas duvido que ele nos receba.
Faremos todas as pressões para que esta legislação vá ao Tribunal Constitucional para poder ser suspensa, pois temos pareceres sobre a inconstitucionalidade destas medidas.
Continuamos a aguardar o regresso do “tempo judicial” para vermos qual a melhor maneira de actuarmos no que se refere à portaria 216-A de 2013, sobre a utilização de fundos do Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social. 
Temos algumas audiências pedidas, nomeadamente ao Provedor e ao Presidente da República e vamos continuar atentos a toda esta teia em que nos querem enredar.
Vamos fazer a reunião de dinamizadores no dia 13 de Setembro e dessa reunião sairão propostas de estratégias para combater as medidas anunciadas.

Entretanto sugiro aos Associados que enviem para a FESAP (sintap@sintap.pt) 
com com conhecimento à UGT (geral@ugt.pt) um texto em que manifestem o seu desagrado pela posição que o Secretário Geral da FESAP tomou ao aceitar negociar os cortes, como por exemplo este que se segue ou outro:

Perante as declarações que o Secretário Geral da FESAP à saída das negociações com o Secretário de Estado da Administração Publica, no sentido de poderem vir a aceitar “cortes” nas pensões mais altas “protegendo” as pensões mais baixas, informo que não me sinto representado(a) por essa estrutura sindical e que não lhe reconheço legitimidade para tomar posição em nome dos Aposentados deste país. 
Só a retirada oficial desta proposta e uma explicação convincente da FESAP poderá atenuar esta ofensa aos aposentados da CGA.

Saudações Apristas
Rosário Gama

*****


Apelo a todos os organismos representativos dos pensionistas e reformados que formulem essa exigência e que se promova uma petição nesse sentido.
Sugiro, também, que enviemos mensagens para os gabinetes de Passos Coelho e de Paulo Portas, bem como aos grupos parlamentares do PSD e do CDS perguntando-lhes que cortes planeiam fazer, pois eles já sabem quais pretendem aprovar, visto avançarem nos meios de comunicação social os valores globais dos mesmos (as tais “poupanças”), quer na chamada convergência quer na taxa de sustentabilidade.