Audiência – CGTP

1
No prosseguimento dos contactos promovidos pela APRe! com todos os partidos políticos e com as centrais sindicais, na perspectiva de uma troca de informações e da aferição das várias sensibilidades sobre o momento político actual, realizou-se hoje, em Lisboa, na sede da CGTP, um encontro de delegações da nossa Associação e da CGTP – Intersindical Nacional. 
A representação da APRe! foi confiada a Rosário Gama, Teresa Rio Carvalho, Pedro Martins e Betâmio Almeida. Pela CGTP estiveram presentes, Arménio Carlos, Fátima Canavezes, José Augusto Oliveira, Virgílio Guerreiro e Josélia Xavier. 
Rosário Gama fez um historial sobre a criação da APRe! e manifestou o interesse em promover a articulação de acções, com outros parceiros, que conduzam à defesa e afirmação dos direitos dos reformados e de outros direitos sociais dos cidadãos. 
Denunciou a reprovável tentativa do poder em promover o conflito entre aposentados da CGA e reformados do CNP, tal como já havia experimentado, sem resultado, estimular a conflitualidade entre gerações. 
As erradas opções do governo, que aposta no empobrecimento, na desvalorização do trabalho e no incumprimento das obrigações contratuais do Estado para com os reformados, como forma de superar as dificuldades correntes, foram referidas na intervenção de Rosário Gama. 
Foi afirmado o carácter apartidário da APRe! que aglutina no seu seio pessoas que se inserem em diversas áreas do pensamento ideológico mas que se unem por um objectivo comum, sendo também referido o papel insubstituível dos partidos e das organizações sindicais, na consagração do estado democrático. 
Arménio Carlos fez uma abordagem da situação política actual e, em detalhe, sobre esta problemática dos reformados. 
A sustentabilidade da segurança social e as suas fontes de financiamento, as políticas de crescimento e o combate à fraude fiscal, foram presentes no seu discurso. 
Referiu a necessidade de promover a produção nacional, criação de emprego, melhor distribuição da riqueza, uma maior valorização do trabalho, o aumento das pensões de reforma e a actualização dos indexantes utilizados para os apoios sociais. 
Arménio Carlos teve um referência elogiosa à intervenção que a APRe! tem promovido na defesa dos direitos dos reformados, declarando que não vê a nossa Associação como uma concorrente de outras organizações de reformados e afirmando que a participação cívica dos cidadãos enriquece a democracia. 
Finalizou, manifestando a disponibilidade da CGTP para concertar com a APRe!, no futuro, iniciativas em comum. 
Concluiu-se por uma grande identidade de posições, entre as duas organizações, sobre as questões que se relacionam com os direitos dos reformados e as políticas mais adequadas para a superação dos problemas que os afectam.