Quarta-feira, Dezembro 7, 2022
EnglishFrenchPortuguese
Início Arquivo

Carta aberta às televisões pede informação sóbria e critica “obsessão opinativa”

17

 

Dezenas de personalidades assinam uma carta aberta dirigida às televisões generalistas a pedir contenção na informação sobre a pandemia e a criticar o que consideram ser o excesso informativo, o tom agressivo usado nalgumas entrevistas e a “obsessão opinativa”.

“Sabemos (…) que os media estão em crise, que sofrem a ameaça das redes sociais, a competição por audiências, as redações desfalcadas, os ritmos de trabalho acelerados impostos aos que nelas restam, a precariedade laboral de muitos jornalistas”, mas “assinalamos a excessiva duração dos telejornais, contraproducente em termos informativos”, referem os autores da carta, hoje publicada no jornal Público. 


 

Assinada por personalidades como a escritora Alice Vieira, a professora universitária Ana Benavente, que foi secretária de Estado da Educação, o encenador Tiago Rodrigues, a diretora do Museu do Aljube, Rita Rato (ex-deputada do PCP), a jornalista Diana Andringa, e a médica Isabel do Carmo, entre outros, a carta aberta pede “uma informação que respeite princípios éticos, sobriedade e contenção”.

“E, sobretudo, que respeite a democracia”, escrevem os subscritores, que dizem saber que há uma pandemia com “pesadas baixas em países menos habituados a crises sanitárias”, que não se trata com “poções mágicas” e que o facto de, mesmo cumprindo as regras, qualquer um poder ser contaminado “causa medo a todos”.

Na carta dizem não aceitar o que apelidam de “tom agressivo, quase inquisitorial, usado em algumas entrevistas, condicionando o pensamento e a respostas dos entrevistados”, nem o que classificam como “obsessão opinativa”, que consideram ter o resultado oposto de uma “saudável preocupação pedagógica de informar”.

“E não podemos admitir o estilo acusatório com que vários jornalistas se insurgem contra governantes, cientistas e até o infatigável pessoal de saúde por, alegadamente, não terem sabido prever o imprevisível”, escrevem. 

 

Ler mais aqui: https://www.rtp.pt/noticias/pais/carta-aberta-as-televisoes-pede-informacao-sobria-e-critica-obsessao-opinativa_