Notícias APRe!

0

Car@s Associad@s
A última semana foi uma semana cheia de acontecimentos para a APRe! pois além das várias reuniões organizadas pelos núcleos locais, fomos à Assembleia da República assistir à discussão da Petição que entregámos em Novembro com 13500 assinaturas. Como todos sabem, a Petição pedia para os grupos parlamentares enviarem a lei do Orçamento ao Tribunal Constitucional a fim de ser pedida a fiscalização sucessiva das medidas nele contidas. Dado o desfasamento no tempo, enviámos pedidos aos grupos parlamentares para que aproveitassem o tema e discutissem quer a CES, quer a situação dos reformados afectados pela crise e, consequentemente, por todos os outros impostos. 
A entrada na Assembleia da República foi uma verdadeira odisseia, com uma fila de associados da APRe! na rua, ao sol à espera que nos deixassem entrar, competindo com filas de alunos que também iam assistir ao Plenário. Para estes, a entrada foi rápida, para a APRe! houve um tratamento humilhante, fazendo cada associado mostrar a roupa que trazia por debaixo da camisa ou camisola a fim de verificarem a existência de uma perigosa arma de propaganda: a t-shirt da APRe a dizer que não somos descartáveis. Aos homens, a verificação era feita no corredor, as senhoras eram encaminhadas para um gabinete onde uma zelosa segurança mandava levantar as peças de roupa para ver o que havia escondido. Apesar disso, ainda conseguimos introduzir uma t-shirt na sala, juntamente com a “raiva” que já todos levávamos: aos alunos não foram tiradas as mochilas, a nós foram retiradas todas as carteiras e sacos… 
Na discussão houve intervenções que aumentaram o nosso mal-estar uma vez que, de forma bem clara, argumentavam que a percentagem de reformados afectados pela CES era tão baixa, que não havia problema em manter esta contribuição.
Após estas intervenções houve um associado que começou a cantar o “Grândola Vila Morena” e os Associados que quiseram associaram-se a este protesto (penso que a maioria dos presentes). Perante isto, a Presidente da AR mandou evacuar a galeria onde estávamos, acrescentando que a nossa atitude comprometia a democracia. 
Na sequência deste acontecimento enviámos uma carta à PAR e hoje já obtivemos a resposta. Estes dois documentos seguem em anexo. 
Na sequência da intervenção do Sr. Primeiro Ministro no dia 3 de Maio fizemos sair um comunicado que foi distribuído à Imprensa no dia 6 após o debate que a APRe! promoveu no Porto com a Drª Raquel Varela e o Dr. Paulo Morais. Esse comunicado segue em anexo. 
Dois dias depois da comunicação do Sr. Primeiro Ministro, o Sr. Ministro dos Negócios Estrangeiros vem dizer que a taxa de sustentabilidade que havia sido acordada na reunião do Conselho de Ministros era a linha vermelha que ele, Paulo Portas não deixava ultrapassar. As rádios pediram logo de manhã o meu comentário (como é bom de ver é um comentário pessoal pois entre uma declaração à noite e a questão colocada às 7H30 da manhã seguinte não há tempo de reunir a Direcção, a não ser fazer 3 ou 4 telefonemas). Declarei que, se um membro do governo não quer deixar “passar” a taxa, congratulávamo-nos com essa medida, embora isso fosse nada comparado com as outras que previam uma aplicação retroactiva e que envolviam cortes muito maiores.
Os reformados merecem, têm direito, a tranquilidade e respeito por parte da sociedade e do governo. Com que direito, com que moral o Governo ameaça e assusta tirar parte substancial das pensões? Porquê esta sanha contra os mais velho? Ignoramos.Somos CREDORES do Estado, as nossas pensões não são subsídios como alguns querem insinuar, em particular na comunicação social.Por isso apelamos aos reformados para estarem mobilizados, para estarem informados mas sem medo.Apelamos a todos que falem e protestem com a razão mas também com o coração. Falem com todos novos ou velhos, filhos ou amigos, conhecidos…não desistam.
Vamos desenvolver várias acções:
Propomos aos Associados que façam pressão junto dos Partidos da coligação, através dos grupos parlamentares (gp_pp@pp.parlamento.pt e gp_psd@psd.parlamento.pt) questionando-os sobre as medidas anunciadas para os reformados, mas não explicadas e sobre a posição dos respectivos partidos relativamente a essas medidas.
Precisamos de saber quantos voluntários estão disponíveis para uma acção de rua a levar a cabo durante 24 horas “non stop”. Depois explicarei melhor aos voluntários o que se pretende para não perder o efeito. Agradeço respostas para o mail voluntariosapre2012@gmail.com
Para poder conhecer a actividade dos núcleos e as reuniões que a APRe! tem feito pode consultar o blogue em http://apre-associacaocivica.blogspot.pt/
Aí também pode ver os vídeos da intervenção do Fernando Martins na RTP1 e CMTV e minha no jornal das 24H00 de ontem, dia 7 na RTP2 
A Segunda edição da revista REVIVER já se encontra disponível para download.
A REVIVER demonstra que a velhice não passa de um estado de espírito.
Para ler a 2ª edição, basta carregar no link abaixo, e gravá-la onde prefere no seu computador. Para lê-la precisa de ter o programa Adobe AcrobatReader (que costuma vir instalado nos computadores). 
Faça o download aqui: 
Saudações Apristas
Rosário Gama