Notícias

1
O jornal Expresso publicou hoje a resposta da APRE! ao artigo de Miguel Sousa Tavares. e que passo a transcrever: 
Em nome da Pró-Associação APRe! – Aposentados, Pensionistas e Reformados, solicito a V. Exª o direito de resposta relativamente ao conteúdo do artigo de opinião de Miguel Sousa Tavares no Expresso, no sábado, dia 10 de Novembro: 
Pelo teor do artigo de opinião “Contra Argumentos Não Há Factos”, Miguel Sousa Tavares demonstra ignorância na matéria respeitante aos descontos para Segurança Social, Caixa Geral de Aposentações, entre outros, pois desconhece as percentagens que servem de cálculo ás contribuições bem como desconhece que os dinheiros descontados foram entregues às instituições não apenas para serem armazenados, mas para serem aplicados em investimentos seguros ao longo dos anos. Em termos de matemática, o jornalista apenas sabe fazer um cálculo ou seja: 40 a dividir por 10 tem como resultado 4, o que faz supor que só teria direito a 4 anos de reforma. Muito pouco, para quem quer escrever sobre reformas ou reformados. 
Esquece aquele mesmo articulista que o desconto da trabalhadora com que enceta o diálogo no texto de opinião, esteve durante 40 anos entregue às competentes Instituições, sem qualquer retribuição, 
rendendo juros!!! 
Os reformados, mesmo depois de deixarem a vida activa, ainda pagam impostos, tais como “IRS, IVA, IMI, IA etc.”. que servem para o estado suportar, entre outras, despesas com a saúde, como 
medicamentos, internamentos, etc.. situação omitida na sua crónica. 
Lembramos ao Dr. MST que as reformas/pensões são um direito de quem descontou ao longo de uma vida e que quando é fixado o seu montante encerra-se um contrato que não pode ser alterado unilateralmente. 
Os reformados são o patamar final de quem já muito trabalhou para a riqueza do país. Os que hoje pensam como MST, amanhã também farão parte desta condição. 
A Coordenadora da Pró-Associação 
Maria do Rosário Gama
Também o Jornal de Notícias publica hoje a entrevista que envio, em anexo. Envio, em anexo, a notícia da reunião no Porto.
O Grupo Parlamentar do PCP vai receber a APRe! no dia 22 de Novembro. Só faltam os grupos parlamentares do PS, PSD e Verdes darem resposta. Da Presidência da República, por enquanto, só silêncio, mas vamos continuar a insistir.
O voto por correspondência não vai ser utilizado na Assembleia da aprovação dos estatutos, visto tratar-se de uma Assembleia Constituinte e a lei não o prever, tal como informei nas Notícias de ontem.
A Petição “Em Defesa dos Aposentados, Pensionistas e Reformados” já tem mais de 12000 assinaturas. Vamos enviá-la na 2ª feira.
Pedimos, de novo, para não enviarem correio com Aviso de Recepção porque em centenas de cartas, causa grande perturbação a quem as recebe. Vamos tentar dar resposta a todas as confirmações que nos são pedidas mas se atrasar uns dias, pedimos desculpas pois o trabalho é muito e o grupo encarregado da base de dados não “tem mãos a medir”. 
A Coordenadora da APRe! 
Maria do Rosário Gama