O Governo admite vir a atribuir “subsídio provisório” aos trabalhadores que estão à espera da pensão

19
Catarina Almeida Pereira

O Governo admite vir a atribuir aos trabalhadores que estão à espera da pensão, por vezes durante largos meses, uma “liquidação provisória” que garanta algum rendimento enquanto o pedido de pensão não é despachado. A medida foi admitida esta quarta-feira pelo primeiro-ministro, no Parlamento.

“Estamos a estudar ainda novas medidas, designadamente considerar a possibilidade de uma liquidação provisória relativamente a todas as pensões que são tratadas no âmbito do simulador de forma a assegurar às pessoas uma pensão imediatamente, sem prejuízo de acertos futuros que seja necessário fazer”.

António Costa, que já tinha prometido resolver o problema dos atrasos até ao final do primeiro semestre, começou por reconhecer que o problema do atraso na atribuição de pensões é grave. “Sabemos bem a angústia que isto constitui para as pessoas, ainda no fim-de-semana passado no supermercado fui interpelado por uma senhora que me veio chamar a atenção para o seu próprio problema”.

“Estamos a procurar encontrar essas medidas e responder com a máxima urgência um problema que temos bem consciência da gravidade que tem para milhares de portugueses”, disse.

Segundo dados divulgados pelo primeiro-ministro, no primeiro trimestre a Segurança Social aprovou 30% mais pensões do que no mesmo período do ano anterior.

Negócios 17.04.2019