País

0

Caros companheiros e amigos: 

Ontem colastes um selo de juramento na tomada de posse dos orgãos sociais da APRe!, num local muito simbólico, encostado ao túmulo do 1º Rei de Portugal. Sim, também precisamos de lembrar a Pátria! Embalados pelos cantares do Zeca Afonso, continuaremos, como formigas, a fazer o nosso trabalho. 
A tarde terminou na Casa da Escrita, com Manuel Alegre a recitar este seu poema:
PAÍS
Não sei se sem poema há país
ou se sem eles se perde o pé a fé e até
esse país que está onde se diz
Ai Deus e u é?
Alguns julgam que é tanto vezes tanto
capital a multiplicar por capital
país é um café e a mesa a um canto
onde um poeta sonha e escreve e é Portugal.
Levantou-se a velida levantou-se a alva.
Por mais que o mundo nos oprima e nos esprema
há sempre um poema que nos salva
país é onde fica esse poema.
Manuel Alegre, in “Nada está escrito”.
Também nós estamos nesta luta pela poesia. 
Um abraço a todos 
José Gama