Tomar Partido

2
















CONFISSÃO

Ouve-se tanto falar de “partidarite” por estas bandas que não me resta outra solução. Confesso! Confesso que não sou independente, ainda menos apartidário. Definitivamente não! Eu sou partidário dos pobres (os tais que facilmente passam com os seus camelos pelo buraco da agulha) e não dos ricos (que não passam pelo dito buraco, nem eles, nem os seus Camilos). Sou partidário dos que sofrem, dos “de baixo” que aguentam, aguentam, ai mas não aguentam mais. Sou partidário dos 99% contra os 1% que são donos do mundo. Sou partidário de todos os que querem derrubar este (des)governo que se propõe destruir tudo aquilo em que acredito, em benefício dos 1%. E não sou esquisito. Nem discrimino entre aqueles que tomam o mesmo partido (vá lá, não fiquem nervosos!). Ah! Esquecia-me de dizer que não tenho partido… apenas tomo partido. Entre outras coisas, que já referi, tomo também partido pelos reformados. E pela APRe! Naturalmente. Alguma objecção? E agora, se me derem licença, vou pegar nas minhas caixas de papelão e escolher um multibanco do BPI para dormir. Mas um que esteja dentro de portas, que eu não sou parvo…

Luis Gottschalk