Identificar as teorias da conspiração

32

Com a pandemia de COVID-19, assistiu-se a um aumento das teorias da conspiração nocivas e enganosas, que se propagam principalmente em linha. Para fazer face a esta tendência, a Comissão Europeia e a UNESCO dão a conhecer um conjunto de dez infografias educativas para ajudar os cidadãos a identificar, desmentir e combater as teorias da conspiração.

 O que são as teorias da conspiração? Por que motivo têm tanto êxito?
 

O que são?

A crença de que determinados acontecimentos ou situações são manipulados secretamente, nos bastidores, por forças poderosas e mal-intencionadas.

As teorias da conspiração têm estas seis características em comum:

1. Um alegado plano secreto.

2. Um grupo de conspiradores.

3. «Elementos de prova» que parecem confirmar a teoria da conspiração.

4. Falsas sugestões de que nada acontece por acaso e que não há coincidências, de que nada é o que parece e tudo está interligado.

5. A divisão do mundo entre «bons» e «maus».

6. A designação de pessoas ou grupos como bodes expiatórios.
    

Por que motivo têm tanto êxito?
   

Surgem frequentemente como uma explicação lógica de acontecimentos ou situações difíceis de compreender e criam uma falsa sensação de controlo e de domínio da situação. Esta necessidade de clareza aumenta em períodos de incerteza como a pandemia de COVID-19.

  Como se  desenvolvem?

    As teorias da conspiração desenvolvem-se frequentemente a partir de suspeitas. Colocam a questão de saber quem beneficia do evento ou da situação, identificando assim os conspiradores. Quaisquer «elementos de prova» são, em seguida, forçados a encaixar na teoria elaborada.

Uma vez enraizadas, as teorias da conspiração podem rapidamente alastrar-se. São difíceis de refutar porque qualquer pessoa que o tente fazer passa a ser considerada parte da conspiração.

 

 As pessoas espalham teorias da conspiração por diferentes motivos:

A maioria crê que são verdadeiras. Outras pretendem deliberadamente provocar, manipular ou atingir certas pessoas por razões políticas ou financeiras. Atenção: as teorias podem provir de muitas fontes, por exemplo, da Internet ou de amigos e familiares.

 

 O primeiro passo para evitar teorias da conspiração é saber que existem. Mantenha-se alerta. Trave a difusão.


 

 Ler mais aqui:https://ec.europa.eu/info/live-work-travel-eu/health/coronavirus-response/fighting-disinformation/identifyi